Industrializando IFRS 9

English Español

January 31, 2018 –

Problemas, Perguntas e Preparação

Muita tinta foi derramada em análises de risco de crédito e metodologias de deterioração de crédito em relação ao IFRS 9. Passar de um regime passivo de revisão anual de crédito para um relatório de crédito mensal ativo, tem sido uma mudança cultural radical para a maioria das organizações. Dito isto, o próximo passo é industrializar o processo de produção. A partir da experiência da AxiomSL na implementação dos sistemas IFRS 9, apresentamos aqui uma perspectiva educada sobre os problemas e questões que poderiam ser formuladas a partir do ponto de vista da auditoria.

Artefatos de Crédito Multifacetado

Se acabamos de concluir uma implementação exaustiva do IFRS 9, agora temos uma grande quantidade de modelos de risco de crédito, matrizes de transição de crédito, através do ciclo e estimativas pontuais de deterioração do crédito. O primeiro passo na industrialização do processo IFRS 9 é organizar todos os elementos de crédito que devem ser alojados em um ambiente de crédito. Estes incluem, notadamente, tipos de modelos, exposições setoriais, categorias de crédito e regras de impairment. Isso leva a termos um quadro analítico claro dos ativos e passivos financeiros, permitindo um processo automatizado, que pode ser facilmente adaptado ao modelo de negócios dos bancos, que é um pilar fundamental para cumprir o padrão IFRS 9.

Sentindo – se Deteriorado…

Uma abordagem possível é executar toda a metodologia usando macros do Excel e algumas últimas horas da noite no final do mês. De fato, os cálculos através de diferentes tipos de ativos aumentam significativamente os volumes, uma vez que as depreciações se encontram em um nível granular. Outra abordagem é poder alojar todos os dados relevantes, modelos e cálculos em um único ambiente e usar um conjunto de regras de negócios para automatizar o processo de ponta a ponta.

Isso permite que os bancos aperfeiçoem seus resultados de depreciação através de uma série de simulações de “what-if” para ver qual conjunto de regras melhor se adequa ao seu modelo de negócios, bem como otimizar os resultados da ECL. Em outras palavras, um único ambiente controlado onde a área de Finanças possa analisar o processo de cálculo de provisões, enquanto que a área de Riscos possa ter a flexibilidade para construir e executar modelos de ajustes pontuais ao longo do tempo, criando um ambiente colaborativo para a instituição.

Gerenciando a Volatilidade de Ganhos e Perdas

A primeira implementação da IFRS 9 tem impacto direto no P&L e nos Coeficientes de Capital de Nível 1. Como temos a capacidade de ter todos os sistemas em um ambiente, o próximo passo é o pré-processamento.

O pré-processamento mensal de todo o balanço dá às equipes de Finanças e Riscos a possibilidade de receber alertas sobre riscos emergentes para o banco como um todo.

O pré-processamento cria um ambiente para a instituição reiterar e ajustar o processo de ponta a ponta. Isso ajuda na gestão da volatilidade dos ganhos e perdas, já que todo o processo deve ser realizado mensalmente.

Perguntas de Gestão e Auditoria

Dado que é um novo conjunto de funções, a alta gerência ou a auditoria de uma instituição financeira podem querer se aprofundar e fazer os seguintes questionamentos:

Como classificamos todos os artefatos de crédito no sistema?

Quais metodologias de deterioração foram utilizadas no processo de cálculo?

Dado o nosso processo atual de cálculo da IFRS 9, qual o impacto antecipado nos nossos ganhos e perdas já que as condições de crédito mudam de mês para mês?

Que controles existem para detectar discrepâncias ou problemas de reconciliação, se aplicável?

Que processos de controle de qualidade existem para revisar as inconsistências antes de publicar os ajustes no balanço?

Ser capaz de implementar a linhagem de dados ou – dados sobre os dados – ajuda muito para responder a esses tipos de perguntas. Tendo um mecanismo que imediatamente estabeleça uma forma de metadados de informações recebidas, e poder rastreá-lo através de uma taxa de impairment e, em seguida, efetuar um lançamento contábil,  permite que uma instituição financeira passe pela auditoria com grande sucesso.

Sobre AxiomSL e IFRS 9

AxiomSL combina a experiência profunda da indústria com uma plataforma e aplicações inteligentes para entregar relatórios regulatórios financeiros, liquidez, impostos, análise de capital e crédito, operações e transações.

Nossa presença   global abrange 70 reguladores em 50 jurisdições, atendendo instituições financeiras com mais de US$39 trilhões em ativos totais. Nossa experiência na implementação do IFRS 9 pode ser resumida da seguinte forma:

  • Plataforma única para calcular provisões em várias subsidiárias, o que dá à organização a flexibilidade de implementação conforme suas necessidades.
  • Automação de ponta a ponta do processo de captura de dados, agregação de dados, verificação de qualidade de dados, cálculo de ECL, contabilização, e relatórios para um ambiente projetado para fornecer transparência e atender aos requisitos de auditoria.
  • Capacidade de fluxo de trabalho integrada para permitir o pré-processamento, simulação de impacto para chegar a uma implementação ajustada da IFRS 9.
  • Capacidade de integrar sua biblioteca de modelos, bem como subscrições e modelos Point-In-Time, para completar os elementos que faltam.
  • Monitoramento contínuo de múltiplas interpretações regulatórias, gerando eficiência no processo.